Temer ironiza gravações clandestinas e diz não ter comprado silêncio

0
19

O presidente Michel Temer fez um pronunciamento oficial na tarde desta quinta-feira (18), em Brasília e declarou que “não tem nada a esconder”. Ele nega ter oferecido valores para o silêncio do deputado federal cassado e ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e falou com ironia sobre as gravações que o acusam de tal ação.

Ao abrir o seu discurso, Temer cita que solicitou ter acesso ao conteúdo que o envolvia no STF (Supremo Tribunal Federal), mas sem sucesso.

Ele nega as acusações e fala enfaticamente sobre “honra”. “Ressalto que em nenhum momento autorizei que pagassem a quem quer que seja para ficar calado. Não comprei o silêncio de ninguém, por uma razão singelíssima, exata e precisamente por não temer nenhuma delação, não preciso de cargo público, nem de foro especial, nada tenho a esconder. Sempre honrei meu nome e nunca autorizei por isso mesmo que utilizassem o meu nome indevidamente”, disse.

Sobre as investigações, o presidente cita que revelarão a realidade da situação de forma a ‘incocentá-lo’. Nesse ponto, ele ainda fala que espera agilidade, como aconteceu com o que ele chama de gravações clandestinas.

A investigação pedida pelo STF será território, onde surgirão todas as demonstrações e no Supremo demonstrarei não ter nenhum envolvimento com estes fatos. Exijo investigação plena e muito rápida para esclarecimentos ao povo brasileiro [..]Se foram rápidos nas investigações clandestinas não podem tardar nas investigações e na solução ‘respeitantemente’ a essas investigações”, diz.

Como já mostrado pelo Dourados News, em tal oportunidade, ele anunciou de forma enfática que não renunciará ao cargo veja aqui.

Temer afirma ainda que o Governo passou nesta semana pelo melhor e pior momento.

No primeiro aspecto, ele diz que houve índice de queda na inflação, pontos que mostravam retorno da economia, dados positivos de geração de emprego e avanços das reformas no Congresso Nacional. Já no segundo cita sobre a revelação de conversa gravada clandestinamente com o retorno do “fantasma de crise política de proporção ainda não dimensionada”.

Neste assunto, ele finaliza ao pontuar que “todo um imenso esforço de retirar o país de sua recessão pode-se tornar inútil e que não se pode jogar no lixo da história tanto trabalho feito em prol do país”.

 

Dourados News

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui