Medidas contra a crise não atingem a PRF em Dourados, diz inspetor

0
21

Em meio a anúncio de contingenciamento de gastos da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a delegacia em Dourados informou que não vai sofrer com fechamento de postos de fiscalização e, na contramão da situação, vai receber reforço de efetivo por ser considerada estratégica para o combate ao tráfico de drogas, contrabando e ilícitos na fronteira. Os postos abrangidos pela Delegacia PRF Dourados são o de Ponta Porã e de Caarapó.

A informação foi repassada à reportagem de O Progresso, pelo inspetor-chefe da delegacia de Dourados, Waldir Brasil. Ele esteve em reunião na Superintendência Regional de Campo Grande tratando do assunto. “Em relação à delegacia da PRF em Dourados tive a informação que não vamos fechar postos, pelo contrário. A pedido do superintendente Regional, Brasília está enviando reforço para a fiscalização nesta região”, disse. A reunião em Campo Grande ocorreu com os 10 chefes de delegacias do Mato Grosso do Sul.

Hoje, estes postos contam com efetivo de 34 agentes PRF e, nós próximos dias, o efetivo da delegacia vai sofrer um acréscimo de pelo menos 30%. Assim, segundo o inspetor, a delegacia da PRF em Dourados vai continuar desenvolvendo a fiscalização normalmente devido à área de fronteira ser prioridade da administração central do órgão e ainda vai reforçar o efetivo.

Em nota enviada ontem, o comando nacional do órgão anunciou que, entre as medidas de contingenciamento orçamentário, estão a desativação de unidades operacionais, a suspensão imediata de resgates e policiamento aéreo e a redução de patrulhamentos terrestres. Além disso, a partir de hoje, serão suspensos os serviços de escolta em rodovias federais, atuação prestada, entre outros, a veículos com cargas superdimensionadas.

As medidas foram tomadas devido ao contingenciamento estabelecido no Decreto 9.018/2017, que dispõe sobre a programação financeira e orçamentária do Poder Executivo para 2017. O contingenciamento, de acordo com a PRF, resultou em limitação para aquisição de combustível e pagamentos de manutenção e diárias.

Em MS, são mais de 3,6 mil quilômetros de rodovias federais patrulhadas pela PRF. Com importante atuação no combate ao crime organizado, principalmente na região de fronteira com o Paraguai e a Bolívia, a PRF segue quebrando recordes de apreensão de drogas e recuperação de veículos roubados.

Recentemente, divulgou dados de apreensões no primeiro semestre de 2017 que já somam 85% de toda a droga apreendida em todo o ano de 2016. Segundo o inspetor Waldir Brasil, neste contexto a delegacia de Dourados – com os postos de Ponta Porã e Caarapó – exercem função essencial neste combate. “Em junho apreendemos 22,6 toneladas de maconha em Ponta Porã. Os corredores de droga afunilam nesta região e a superintendência entende isto como um forte argumento para o aporte que receberemos”, disse.

Segundo o sindicato dos policiais rodoviários federais informou à imprensa da Capital, o efetivo em MS conta com 400 policiais para atender as estradas federais e é o campeão em apreensões no Brasil. A PRF tem 24 postos de fiscalização no Estado, mas só 19 em funcionamento.

Os três postos desativados estão na BR-419, BR-267 em Casa Verde e em Mundo Novo, outros dois estão em reformas, em Três Lagoas e Sidrolândia e, este último, fechado há mais de dois anos.

A informação dos representantes da categoria é de que oito destes postos devam ser fechados por falta de estrutura, mas esse número pode chegar a onze, segundo o Campo Grande News.

O site da Capital divulgou ainda informações que seriam de um memorando interno da PRF colocando como orçamento disponível inicial para o ano o valor de R$ 420 milhões no país. Esta quantia teria caído para R$ 236 milhões, em uma redução de 43,6%.

Depois deste estudo, uma comissão foi formada e uma proposta de adequação do planejamento orçamentário foi apresentado, com isso, foi possível a recomposição de R$ 20,6 milhões, aumentando o orçamento disponível para R$ 257,6 milhões, reduzindo o corte de gastos para 39%.

Segundo nota divulgada pelo órgão, as medidas foram selecionadas de modo que impactem o mínimo possível as atividades. A PRF vai priorizar o atendimento de acidentes com vítimas, auxílios que sejam de competência exclusiva da PRF e enfrentamento a ilícitos.

A Polícia Rodoviária disse que, em conjunto com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, está “em tratativas com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para que se tenha uma célere recomposição do orçamento e consequente reestabelecimento dos serviços e normalização da atuação da instituição”. De 2013 a 2016 a PRF em MS apreendeu mais de 432 toneladas de drogas.

Dourados Agora

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui