Brasil Eficiente reduz custos para Estado e cidadãos

0
9

Para dar mais agilidade aos serviços públicos, o Governo do Brasil lançou em junho o Conselho Nacional de Desburocratização – Brasil Eficiente.

Com a medida, novas práticas têm sido adotadas no setor para facilitar a vida dos cidadãos na hora de emitir documentos como CPF e passaportes.

Na segunda-feira (16) começou a 3ª Semana de Inovação em Gestão Pública, que vai divulgar ações de transformação digital no governo.

O Brasil é o 51º País em transformação digital de governo no mundo, segundo o Ministério do Planejamento.

“Não se trata apenas de digitalizar o mundo analógico, trata-se de se pensar de maneira moderna para prestar serviço de maior qualidade”, ponderou o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.

“Para o cidadão, há economia no custo de deslocamento, de tempo, de recursos financeiros para obter documentos; e no lado do Estado, é mais eficiente pois gasta menos, é mais barato atender o cidadão no meio digital.”

Redução de gastos

As ações visam integrar os serviços do governo em uma única plataforma. De acordo com a pasta, uma transação em um serviço digital é 97% mais barata do que uma transação entregue no balcão.

“Para o cidadão, esse benefício é em torno de 8,5 vezes a mais. A cada um real que economizo no governo, economiza-se R$ 8,50 na sociedade.

Esse cidadão que não precisa mais ficar em fila está produzindo, consumindo, fazendo turismo, descanso e usando seu tempo como acha mais adequado e faz a economia girar”, explica o Diretor de Modernização da Gestão Pública do Ministério do Planejamento, Luis Felipe Salin.

Digitalização

Uma das ações que fazem parte do Brasil Eficiente é a digitalização de procedimentos, que deve acelerar a liberação da documentação.

Atualmente, 80% dos bancos de dados da administração pública é integrada e pode ser acessada de diversos pontos.

Na área da saúde, as mudanças vêm no prontuário eletrônico, que pode ser acessado de qualquer unidade de Atenção Básica.

Desse modo, a população pode buscar atendimento em qualquer endereço e não fica limitada aos serviços oferecidos em um único local.

Outra mudança está prevista no eSocial, que hoje precisa ser preenchido apenas para empregados domésticos.

Contudo, o serviço deve ser ampliado para outras empresas até o ano que vem para diminuir o tempo gasto com o recolhimento de tributos.

Na educação, a inovação deve vir na forma de conexão. A meta é oferecer internet banga larga a 22,4 mil escolas públicas até o fim do ano que vem.

Dourados Agora

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui