Análise da íris pode detectar doenças físicas e mentais, afirma iridólogo

0
8

Utilizada desde o Egito Antigo, a iridologia – diagnóstico a partir da área colorida do olho – se propõe a fazer mais do que uma leitura única do indivíduo. A técnica revela sobre saúde, carga genética e até aspectos psicológicos e comportamentais. O tema ainda é polêmico. Em países como a Alemanha, a técnica já é reconhecida como uma área da medicina. No Brasil, a irisdiagnose é pouco conhecida e é encarada como uma prática alternativa.

O profissional iridólogo faz uma foto com máquina especial. A técnica indolor não é invasivo. Através da foto microscópica do olho e com auxílio de software específico, amplia a imagem em até 5.000 vezes é analisado os sinais encontrados. Não existe duas íris iguais no mundo. Tudo que acontece na vida é registrado no olho.

Direcionada por dois mapas – físico e emocional – criados pelos profissionais norte-americanos Bernard Jensen e Denny Johnson, respectivamente, a técnica é utilizada no Brasil em pré-diagnósticos por profissionais de saúde e terapeutas holísticos.

Na íris estariam representadas mais de cem áreas do corpo, incluindo órgãos como rins, pulmões e baço, sistemas (digestivo, respiratório e urinário), além de aspectos psicológicos, determinantes para a leitura do temperamento de cada um e das aptidões dos pacientes. Íris mais escurecidas, por exemplo, notadas inclusive em olhos azuis ou esverdeados, sugerem presença de toxinas no corpo físico e de “impurezas” emocionais desencadeadas por sentimentos de mágoa e raiva.

A herança genética do indivíduo também pode esclarecer porque alguns distúrbios predominam em determinados órgãos. Pessoas que se magoam e se ressentem com facilidade, por exemplo, podem ter afetados fígado, digestão, circulação e juntas. Fitoterapia, acupuntura, cromoterapia, psicologia, dependendo da habilitação do iridólogo, são algumas das alternativas propostas pelos profissionais de leitura de íris.

Em Dourados, o psicólogo e iridólogo José Antônio Pacheco, primeiro a adotar a técnica no município, explica que a técnica não faz diagnósticos fechados ou aponta nomes de doenças, mas indica alterações e desequilíbrios nos mais diversos órgãos a partir dos sinais e marcas na íris. “A iridologia não vê pedras nos rins, por exemplo, mas verifica que há cálculo. Não indicamos qual a doença, mas é possível ver claramente que há alguma alteração, seja de origem física ou psicológica”, explica Pacheco.

Em entrevista ao O Progresso ele explica que a maioria das pessoas que procuram o consultório são pacientes que já se tratam com a medicina convencional (alopata) e não conseguem sua melhora no estado geral. Outra situação é com pessoas que querem uma forma de cura ou bem estar sem efeitos secundários (colaterais).

O que é irisdiagnose? É considerada uma ciência?

Irisdiagnose é um diagnóstico da Iris. Iridologia é o estudo da Íris. Microsemiotia irídea é o estdudo de micropontos da Íris. Não é considerada uma ciência e sim uma técnica utilizada para realizar a avaliação da saúde geral do individuo.

Como surgiu a prática? Qual a sua missão?

Em meados de 1870, Ignatz Von Peczely, um adolescente, capturou uma coruja que quebrou uma das patas. Ele observou mudanças na Íris conforme o animal ia melhorando. Ao tornar-se adulto, formou-se médico e continuou observando a ìris dos pacientes durante o tratamento. Foi o criador da Carta topográfica da Íris . A missão é avaliar quais as áreas do corpo humano está em desiquilíbrio (emocionais, metabólicos, nervosos, nutricionais, entre outros).

O que a íris pode revelar sobre uma pessoa?

Revela disfunções orgânicas bem como desequilíbrio emocional

Os padrões de comportamento da pessoa são revelados na irisdiagnose. Como o paciente pode utilizar essas informações para se ajudar?

Sim. Podem ser revelados como biótipos Sinestésico, emocional e racional, com comportamento que definem se a pessoa é introvertida ou extrovertida, e, se usa o hemisfério direito ou esquerdo, além de traumas emocionais.

A cor dos olhos pode influenciar na pré-disposição a doenças ou comportamentos?

Sim, a cor dos olhos indicam as tendências de funções físicas e mentais.

Como essas informações sobre patologias passam do hipotálamo para a iris?

Anatomicamente, o hipotálomo e a pituitária estão interligados pelo Sistema Nervoso autônomo com o quiasma ótico, onde possuem também o esfíncter ocular.

Como funciona a consulta e diagnóstico?

A consulta, que na realidade é uma avaliação, tem uma breve anamnese. Tira-se uma foto da íris esquerda e direita, são anotados os pontos numa carta topográfica, é exposto ao paciente e começa a terapêutica.

A iridologia pode diagnosticar e tratar qualquer doença?

Não. A iridologia mostra o funcionamento do corpo físico e mental, conscientizando o individuo do seu estado de saúde e orientando com tratamentos.

É possível tratar doenças como depressão, traumas do passado, ansiedade através do toque na coluna?

Sim. Através da microsemiotica iridea pode-se trabalhar traumas e depressões como também ansiedades, com uma técnica chamada Ager – Agegate Emotional Release, onde se sabe qual vértebra específica da coluna vai se trabalhar e desbloquear as dificuldades do indivíduo.

*** Como o emocional influencia na saúde do corpo? A coluna pode ser afetada?***

As emoções e o corpo físico tem ligações extremas. A mente cheia de idéias nocivas, atuam como um estimulo criador de emoções que afetam o corpo de forma negativa, fazendo com que sejam desenvolvidos problemas de saúde. Os males que se caracterizam como transtornos psicológicos possuem raízes emocionais profundas, adormecidas ou reprimidas. Diante desses quadros a coluna é afetada, visto que através da medula e dos nervos raquidianos possuem informações do sistema nervoso, onde a mesma requer as vezes uma equipe multidisciplinar.

Qual a diferença entre o surgimento de sinais na parte superior e inferior da íris?

A forma mais simples de explicar é dividindo a Íris em três partes, onde a parte superior estaria relacionada ao sistema nervoso (Superego), a parte do meio estaria ligado aos órgãos do tronco na parte superior (ego), já a parte inferior, observamos o sistema urinário e sexual, além dos membros inferiores (id).

Problemas com a família podem ser revelados pela Iridologia?

Sim, através da lateralidade dos problemas do indivíduo.

Obesidade tem relação com qual características do paciente? Como vencer essa barreira através da iridologia?

As características observadas na íris são: pessoas extremamente emocionais e sinestésicas são mais propensas a obesidade em situações de emoções negativas e ansiedade. Além da borda do sistema nervoso autônomo ser extremamente ampla e com glândulas hormonais como pituitária, tireóide e adrenais que estão em desequilíbrio nutricionais. A barreira pode ser vencida fazendo avaliações, nutrindo as glândulas, trabalhando seu emocional e mais terapias multidisciplinares.

O perfil de quem procura esse tratamento alternativo?

O perfil de quem nos procura são específicos. São pessoas que já se tratam com a medicina convencional (alopata) não conseguem sua melhora no estado geral; e com pessoas que querem uma forma de cura ou bem estar sem efeitos secundários (colaterais).

Quais os tipos de tratamento?

Os tipos de tratamentos são oligoterapia, florais soluções stok, fitoterápicos, alimentos nutraceuticos e muito diálogo.

Considerações

Sabemos que a iridologia contemporânea e a microsemiótica iridea é mais uma benção em forma de técnica que veio somar ao bem estar do individuo seu geral. Trabalha nas suas bases nutricionais, emocionais e órgãos de choque, contribuindo junto a outras técnicas como homeopatia, acupuntura, medicina alopata e outras. Cada uma no seu devido momento.

Serviço:

O Espaço Vida Saudável fica localizado na Rua Dr. Nelson de Araújo, 26, área central de Dourados. O telefone para contato é: 3422-0697 ou 99982 4950.

Dourados Agora

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui